Funcionamento de 2ª à 6ª feira das 9h às 18h. Recepção de amostras até às 16h30.
(11) 2872-2552 | (11) 94057-1550

Diagnóstico de Pseudomicetoma em um felino da raça persa através da biópsia transcirúrgica por congelação.

Um felino da raça persa foi submetido ao processo cirúrgico para a retirada de três nódulos localizados em região de flanco e tórax esquerdo com diagnostico citológico prévio de Sarcoma. Durante a cirurgia foi realizada a biopsia transcirúrgica por congelação na qual constatou se microscopicamente múltiplas regiões nodulares intradérmicos ou no panículo tendendo a coalescência, compostos principalmente de macrófagos com abundante citoplasma eosinofílico que circunda substância amorfa e eosinofílica onde se encontram imersas estruturas de paredes espessas, claras a azuladas e arredondadas semelhantes a esporos dilatados. Associado nota-se discretos neutrófilos, linfócitos e discreta fibrose. O diagnóstico histopatológico foi o de Dermatite e Paniculite piogranulomatosa, nodular multifocal a coalescente, intensa, com hifas fúngicas intralesionais e material Splendore-Hoeppli. Condição compatível com Pseudomycetoma dermatofítico confirmado posteriormente através do histopatológico convencional em bloco de parafina nas colorações de HE e PAS.

Dermatite e Paniculite piogranulomatosa, nodular multifocal a coalescente, intensa, com hifas fúngicas intralesionais e material Splendore-Hoeppli. Coloração HE (100X)
Hifas Fúngicas intralesionais coloração PAS (200 X)

O Pseudomecetoma dermatofítico é uma infecção fúngica incomum em gatos e rara em cães que ocorre na derme profunda e no tecido subcutâneo. Em gatos essa síndrome ocorre quase que exclusivamente em animais da raça persa (1), porém há relatos em gatos da raça Himalaia, Maine coon e SRD (2). As lesões são caracterizadas por nódulos únicos ou múltiplos por vezes ulcerados localizados em região dorsal de tronco e base de cauda (1) (2). O diagnostico é feito através do exame histopatológico no qual se observa Dermatite e Paniculite piogranulomatosa com hifas fúngicas e reação de Splendore Hoeppli (1). Os agentes fúngicos podem ser melhor visualizados através da coloração histoquímica de PAS (1). O diagnostico do agente etiológico é feito por cultura fúngica (1). O Microsporum canis foi isolado em casos típicos de pseudomycetomas dermatofíticos onde a cultura fúngica foi realizada (1) (2). O Trichophyton mentagrophytes tem sido relatado como causador de inflamação granulomatosa dermatofítica em gatos, mas as lesões não têm as características histológicas típicas do pseudomycetoma dermatofítico, e são caracterizadas por reação tecidual mais difusa com intensa colonização associada à queratina dos folículos pilosos e da epiderme (2).

Bibliografia
  1. Gros, Thelma Lee, et al., et al. Skin Diseases of the dog an cat clinical and histopathologic diagnosis. 2005, 2 ed.
  2. THE JOINT PATHOLOGY CENTER (JPC). [Online] https://www.askjpc.org/wsco/wsc_showcase.php?id=760.
Trabalho apresentando sob a forma oral no ISVD Annual Meeting, Bordeaux, June 2016 PELA MÉDICA VETERINÁRIA CAROLINA G.PIRES.

Posts Relacionados

Faça um comentário